NORAMBUENA E O NAZISMO NO BRASIL !…?

*Carlos Lungarzo, colaborador deste blog, escreve sobre o Nazismo policial-mediático-judicialno Brasil em relação ao preso político Norambuena, leia a seguir:

http://sarauxyz.blogspot.com.br/2016/03/operacao-aletheia-o-fascismo-nao-e-o.html

(…)O fascismo caracterizou-se por um enorme autoritarismo, chauvinismo, preconceito e violência, mas essas características variaram em cada um dos países onde foi triunfante. Por exemplo, um oficial major da Wehrmacht, durante a Guerra, mandou uma mensagem a Himmler desde Zagreb, dizendo que as atrocidades cometidas pelos croatas prejudicavam o sentido de honra do nazismo. Pode parecer incrível, mas é assim mesmo.

Eu acredito que a atual teia policial-mediático-judicialestá menos para fascismo clássico e mais para Gestapo, Goebbels e Freisler. Dito seja com o maior respeito para os originais, pois as imitações são sempre de menor qualidade.
Para apreciar as diferenças entre fascismo e nazismo, vejamos o caso de um famoso filósofo italiano, cuja influência é enorme ainda hoje. Antonio Gramsci, um dos grandes inimigos do fascismo e uma das mais relevantes mentes do marxismo, esteve preso na Itália entre 1926 e 1934.
Ele era (e ainda é hoje) uma figura extremamente “perigosa” para os fascistas por sua defesa da ação cultural como método contra a dominação da direita, que, dito seja de passagem, é a única forma viável de lutar contra o capitalismo.
Proponho esta charada:
Quanto tempo passaria preso Gramsci se estivesse no Brasil atual, com os atuais juízes e promotores?
Certamente, não podemos saber com certeza, mas, se você lembrar a “regra de três” da escola, pode calcular facilmente com base no seguinte exemplo:
O exilado político chileno Maurício Hernández Norambuena está preso no Brasil desde 2002 em prisões de máxima segurança, sendo removido continuamente a lugares cada vez mais remotos. Ele está doente, mas não é atendido por médico nenhum. Ele foi acusado de cometer delitos comuns no Brasil (nunca os delitos são tratados como políticos), mas execução da sentença acabou faz quatro anos.

Além disso, a justiça Brasileira (que sempre morre de prazer para extraditar esquerdistas) se recusa a extraditá-lo, justamente porque isso o beneficiaria. No Chile, teria um trato menos sádico e mórbido que aqui. Os meritíssimos não querem que ele seja punido. Querem puni-lo com sua própria “picana[i]”.(…)

 ————————————————-

Movimentos sociais apelam a Dilma por liberdade de chileno que sequestrou Olivetto

Victor Farinelli | Santiago – 26/02/2016 – 20h38
 

Porta-voz do movimento e irmã de Norambuena diz que ele já cumpriu a pena por seu crime e merece liberdade

http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/43344/movimentos+sociais+apelam+a+dilma+por+liberdade+de+chileno+que+sequestrou+olivetto.shtml


A DITADURA ACABOU NO BRASIL. MENOS PARA MAURICIO NORAMBUENA: ELE AINDA RECEBE TRATAMENTO DE PRESO POLÍTICO!

http://naufrago-da-utopia.blogspot.com.br/2016/02/a-ditadura-acabou-no-brasil-menos-para.html

Por Celso Lungaretti – de seu blog



Movimentos sociais apelam a Dilma por liberdade de chileno que sequestrou Olivetto

Victor Farinelli | Santiago – 26/02/2016 – 20h38
 

Porta-voz do movimento e irmã de Norambuena diz que ele já cumpriu a pena por seu crime e merece liberdade

Organizações sociais chilenas aproveitaram a visita da presidente brasileira, Dilma Rousseff, ao Chile nesta sexta-feira (26/02) para manifestar um apelo em favor da liberdade do chileno Mauricio Hernández Norambuena, ex-guerrilheiro chileno preso no Brasil pelo sequestro do publicitário Washington Olivetto, em 2002.
Agência Efe

Manifestação realizada próximo ao Palácio de la Moneda

O apelo foi realizado durante uma cerimônia em que as mandatárias Michelle Bachelet e Dilma Rousseff deixaram uma oferenda floral ao lado da estátua de Bernardo O´Higgins, na Praça da Cidadania — em frente ao Palácio de La Moneda. Uma delegação, que incluía membros da UNExPP (União Nacional de Ex-Presos Políticos) e da Esquerda Autônima, partido do deputado e ex-líder estudantil Gabriel Boric, realizou uma manifestação em favor da liberdade de Norambuena e tentou entregar uma carta às autoridades brasileiras, mas foram contidos pela polícia.
Leia também: Grupo no Chile pede liberdade a ex-guerrilheiro preso no Brasil por sequestro de Olivetto
O conteúdo do manifesto foi publicado em sites na internet e nas redes sociais. O texto pede que a presidente brasileira interceda pela liberdade de Norambuena, alegando razões humanitárias.
Além de Boric, também apoiaram a demanda: o sociólogo Tomás Moulián; o Partido Igualdade; o Coletivo Girasoles — que reúne ex-presas políticas da ditadura chilena — e o Movimento Rodriguista, do qual formam parte ex-militantes da FPMR (Frente Patriótica Manuel Rodríguez, grupo ao qual Norambuena fazia parte).
Agência Efe

Dilma e Bachelet se reuniram com empresários 

Num dos trechos da carta, os solicitantes apelam “à sensibilidade social e humana, demonstrada hoje por seu governo e também pelo seu passado, por ter se comprometido a uma luta assertiva contra a ditadura militar que assolou o seu país nos Anos 60 e 70, razão pela qual você também sofreu perseguição política, a tortura e o encarceramento”.

Chile: nova política sobre lítio fortalece estatal e impede concessão de jazidas a empresas privadas

Em reunião bilateral, Dilma diz apoiar plano da Bolívia de se tornar centro energético regional

Chile: após vazamento de cobre em rio, empresa pede que população consuma apenas o ‘necessário’

A porta-voz do Movimento Rodriguista, que reúne ex-companheiros de guerrilha de Norambuena, é Laura Hernández Norambuena, irmã de Mauricio. Ela afirmou que “a carta é uma tentativa de sensibilizar a presidente Dilma Rousseff para um sofrimento e uma injustiça que sabemos que ela conhece, porque também viveu a mesma luta. Também incluímos toda a informação, acompanhada dos documentos que temos, comprovando que ele já cumpriu a pena por seu crime no Brasil e merece a liberdade. Agora, só nos resta contar com o sentido de justiça da presidente”.
Quem é Norambuena:
Mauricio Hernández Norambuena, conhecido como Comandante Ramiro, foi um dos mais atuantes membros do FPMR, grupo guerrilheiro formado por sobreviventes de grupos e partidos de esquerda perseguidos durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990), especialmente do Partido Comunista.
Reprodução/Facebook  
Imagem da campanha no Facebook que pede a libertação do ex-guerrilheiro Mauricio Hernández Norambuena

Ele participou de três dos operativos mais importantes realizados pela guerrilha: o atentado contra o ditador, em 1986, e o assassinato do senador Jaime Guzmán — o líder civil da ditadura e autor da constituição ainda vigente no país —, em 1991, e o sequestro de Cristián Edwards, filho do empresário Agustín Edwards, dono do jornal El Mercurio, entre setembro de 1991 e fevereiro de 1992.
Por esse segundo caso, ele foi preso e condenado em seu país, mas conseguiu escapar do presídio de segurança máxima, em 1996. Desde sua prisão no Brasil, em 2002, o partido ultraconservador UDI tenta junto ao governo brasileiro a sua extradição para o Chile, para que termine de cumprir a pena pelo crime de Guzmán.








 

INÍCIO 


var linkwithin_site_id = 2445455; Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...http://www.linkwithin.com/widget.js

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s